0223 4605276. From abroad: 54 223 4605276 [email protected]

Comunicação de resultados 2018/19 para os fiduciantes

O Loma Alta Agricultural Trust informou os fiduciantes o resultado da Campanha 2018/2019 com um excelente resultado líquido O Loma Alta Agricultural Trust informou os fiduciantes o resultado da Campanha 2018/2019 com um excelente resultado líquido. O Loma Alta Agricultural Trust informou os  que o Resultado Líquido da Campanha começou em 1 de agosto de 2018 e terminou em 31 de julho de 2019 foi de 72,6%. Para mais informações, entre em contato com...

Conab estima la cosecha de granos 2019/2020 en 245.8 millones de toneladas

Los primeros números para la nueva cosecha apuntan a una mayor producción de soja y mencionan la tercera cosecha de maíz La cosecha brasileña de grano 2019/2020 debería alcanzar 245.8 millones de toneladas. La evaluación es de la Compañía Nacional de Abastecimiento (Conab), que publicó, el jueves (10/10), los primeros números para el nuevo ciclo, que se encuentra en las primeras etapas de siembra en Brasil. Si se confirma, será 1.6% mayor que la cosecha 2018/2019, que ahora se estima en 241.953 millones de toneladas. En el informe de hace un mes, el último de la temporada pasada, este volumen fue de 242.138 millones. “La temporada 2019/2020 debería registrar la segunda productividad promedio más alta de la serie histórica, en gran parte debido al aumento en el paquete tecnológico utilizado por la agricultura brasileña”, analiza Conab, en el boletín resumido, publicado en su sitio web oficial. A diferencia de los informes en este momento en años anteriores, la Compañía no adopta estimaciones superiores e inferiores, utilizando solo un número. “La competencia del área por la soja y la posibilidad de cultivo en la segunda temporada del cultivo explican la reducción en el área de la primera cosecha de maíz. Con respecto a la siembra de la segunda cosecha, la expectativa se debe a la siembra de soja, que ocurre dentro del se espera que resulte en una ventana de plantación favorable “, dice Conab. Según los técnicos, había una tendencia creciente de plantación en la región llamada Sealba (Sergipe, Alagoas y el noreste de Bahía), además de Amapá y Roraima. En estas regiones, la siembra se concentra en un...

Para o Banco Mundial, a economia argentina cairá 3,1% este ano

Para o Banco Mundial, a economia argentina cairá 3,1% este ano O Banco Mundial previu na quinta-feira que a economia argentina só voltará a crescer em 2021 e, embora tenha dito que o acordo do Mercosul com a União Europeia levará ao desenvolvimento regional a longo prazo, alertou para algumas possíveis consequências negativas desse pacto. “A região da América Latina e do Caribe retornou ao caminho de crescimento lento que caracterizou os anos anteriores à ascensão dos produtos primários. Esse desempenho decepcionante se deve, em parte, às três maiores economias da região: a Argentina está mergulhada em outra crise econômica, o Brasil acaba de sair de uma recessão e o México está sofrendo uma desaceleração econômica ”, afirmou o Banco Mundial no relatório. Ele apresentou esta quinta-feira em Washington, alguns dias antes do início da Assembléia anual desta organização e do Fundo Monetário Internacional, na próxima semana. O relatório, intitulado “Integração comercial como meio de desenvolvimento?”, Estima que a América Latina e o Caribe (excluindo a Venezuela) crescerão 0,8% em 2019 e 1,8% em...

A FADA divulgou o índice de setembro no qual revelou que 56,4% da renda agrícola vai para o Estado

A cada três meses, a FADA (Fundação Agrícola de Desenvolvimento da Argentina) apresentou seu índice correspondente ao mês de setembro, que revelou que 56,4% da renda agrícola é distribuída em diferentes níveis do Estado. Ou seja, de cada US $ 100 que o campo gera, 56,4% vão para os governos: municipal, provincial ou nacional. Neste estudo, renda é entendida como o resultado do valor da produção menos custos. MAIS INFORMAÇÃO David Miazzo, economista-chefe da FADA, explica que “as variáveis ​​que entram em jogo no movimento do índice são principalmente preço, taxa de câmbio, custos e rendimentos”. Quando questionado sobre a distribuição do que o Estado está hospedado, ele esclarece que “que 56,4% da participação do Estado é composta de impostos nacionais, provinciais e municipais, alguns dos quais são compartilhados e outros não”. “Os impostos nacionais não coparticipáveis ​​compõem 55,7% do total de impostos enfrentados por um hectare agrícola na Argentina e são, principalmente, direitos de exportação, aos quais o imposto é adicionado a créditos e débitos bancários”, diz ele. o informe. Os impostos nacionais co-participáveis ​​entre o Estado nacional e os Estados provinciais são 38,6% dos impostos medidos. A maioria é ocupada por imposto de renda e IVA. As províncias recebem parte desses 38,6% como coparticipação e também cobram vários impostos. Assim, os impostos provinciais representam 4,9% do total dos impostos. Finalmente, os impostos municipais compõem 0,8% dos impostos na média nacional do Índice FADA. O componente central desses impostos municipais são os impostos rodoviários. A FADA também explicou que “enquanto a média ponderada de safras em todo o país é de 56,4%, a participação do Estado na soja...

Comunicação dos resultados de 2019 para os Fiduciantes

O Loma Alta Agricultural Trust informou os Fiduciantes  que o resultado da campanha 2018/2019 com um excelente resultado líquido O Loma Alta Agricultural Trust informou aos curadores que o Resultado Líquido da Campanha começou em 1 de agosto de 2018 e terminou em 31 de julho de 2019 foi de 72,6%. Para mais informações, entre em contato com...